Do tirar polo Natural. Inquérito ao retrato português

output_GYKX6y

“Do tirar polo Natural. Inquérito ao retrato português”
inaugura no dia 28 de Junho às 18h:30
no Museu Nacional de Arte Antiga em Lisboa

Na exposição é mostrada a série “Phantasia” de 2007. Este projecto surgiu de um convite revista L+arte, e foi desenvolvido a partir do auto-retrato (c.1900) de Aurélia de Souza, que pertence à colecção do Museu Nacional Soares dos Reis.
Aurélia de Souza estudou pintura no Porto e em Paris, tendo realizado vários auto-retratos, como ela própria, como homem ou como santo. A artista utilizou a fotografia enquanto estudo preparatório das suas pinturas – um acto performativo que é anterior ao acto de pintar – mas estas mantém-se quase secretas, uma vez que poucas pessoas as viram. Nesta série, o que me interessou foi um encontro impossível entre nós através da ideia de re-encenação e do uso da reprodutibilidade técnica.
O título remete para a tradução grega da palavra fantasia – phantasia – que tem a mesma raiz etimológica que fantasma e que fenómeno: phainesthai.

Phantasia foi, mais tarde, apresentada enquanto série fotográfica no 3º Prémio de Pintura Ariane de Rothschild, Antiga Fábrica Mirandela, Lisboa (recebendo o primeiro prémio), e foi exposta na exposição colectiva Do séc. XVII ao séc. XXI: além do tempo, dentro do Museu, curada por Fátima Lambert, no Museu Nacional de Soares dos Reis, Porto (29 Outubro – 12 Dezembro 2009).

Advertisements

Vida e trabalho: não como antes mas de novo | Life and work: not as before but again

sms02

Curadoria | Curated by Antonia Gaeta

MAAT, galeria Cinzeiro 8 | Ashpit 8 gallery

17 de Maio a 17 de Setembro | 17th of May until 17th of September

+info: https://www.maat.pt/pt/exposicoes/susana-mendes-silva-vida-e-trabalho-nao-como-antes-mas-de-novo

https://www.maat.pt/en/exhibitions/susana-mendes-silva-vida-e-trabalho-nao-como-antes-mas-de-novo

 

A Arte como Experiência do Real

S:título

A Arte como Experiência do Real – Colecção Ivo Martins em depósito no Museu de Serralves

com curadoria de Nuno Faria no Centro Internacional das Artes José de Guimarães

Obras de Joaquim Bravo, Álvaro Lapa, Xana, António Palolo, Pedro Casqueiro, Rui Chafes, Pedro Sousa Vieira, Paulo Mendes, Fernando Brito, Fernando José Pereira, Susana Mendes Silva, António de Sousa, Miguel Soares, Armanda Duarte, Fernando J. Ribeiro, Armando Ferraz, Miguel Leal, Cláudia Ulisses, Nuno Ramalho, Carla Filipe, Cristina Mateus, João Queiroz, Susanne S. D. Themlitz, Pedro Cabral Santo, Isabel Carvalho, Gonçalo Ruivo, Jaime Lebre, António Olaio

http://www.ciajg.pt/

 

Rrevolução! ROSTA REBOOT

Screen Shot 2017-07-05 at 17.31.11

Exposição no Colégio das Artes da Universidade de Coimbra

com curadoria de António Olaio, Alice Geirinhas e Pedro Pousada

de 24 de junho a 31 de outubro de 2017

Com Albuquerque Mendes, Alice Geirinhas, Ana Boavida, Ana Catarina Fragoso, Ana Pérez-Quiroga, Ana Rito, António Melo, António Olaio, António Silveira Gomes, Armando Azevedo, Avelino Sá, Beatriz Albuquerque, Bruce Gilchrist, Bruna Sousa, Daniel Nave, Elisa Pône, Felippe Moraes, Fernando José Pereira, Fernando J. Ribeiro, Francisco Queirós, Isaura Pena, Jo Joelson, Joana Monteiro, João Bicker, João Fonte Santa, João Silvério – Empty Cube, José Maçãs de Carvalho, José Maria Cunha, José Pedro Croft, Luís Alegre, Manuel João Vieira, Miguel Ângelo Rocha, Miguel Palma, Miguel Soares, Nuno Coelho, Nuno Sousa Vieira, Paul Hardman, Paulo Mendes, Pedro Amaral, Pedro Cabral Santo, Pedro Cabrita Reis, Pedro Calapez, Pedro Pousada, Pedro Proença, Pedro Sousa Vieira, Pedro Tudela, Pedro Valdez Cardoso, R2 – Artur Rebelo e Lizá Ramalho, Rita Castro Neves, Rita Gaspar Vieira, Rodrigo Oliveira, Rui Matos, São Trindade, Susana Chiocca, Susana Mendes Silva, Vanda Madureira, Vânia Rovisco, Victor Pires Vieira, Vladimir Pliassov, Zulmiro de Carvalho

O Olhar da Síbila

A metamorfose do corpo, interpretada por artistas dos séculos XX e XXI em oitenta e uma obras, mostra-se em O Olhar da Sibila – Corporalidade e Transfiguração.
A exposição constitui uma iniciativa pioneira ao reunir obras de arte pertencentes a seis colecções institucionais, que revelam o trabalho de dinamização cultural e artística de outras tantas fundações: Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva, Fundação Caixa Geral de Depósitos – Culturgest, Fundação EDP, Fundação Millennium bcp, Fundação Oriente e Fundação PLMJ.

 

Sob a metáfora desse olhar, as obras selecionadas, de artistas nacionais e estrangeiros, conjugam diversas aproximações à transfiguração do corpo, e do que esse corpo significa enquanto entidade que se transforma, mas que é também transformadora da forma como o sentimos e percecionamos. Esta exposição apresenta-se como uma aproximação a um campo de possibilidades vastíssimo da transfiguração corpórea e metafísica, em que a presença autorreferencial se cruza, por vezes, na alteridade. Seja individualmente ou em comunidade, essa corporalidade é também nomeação, através da palavra escrita, como imagem e narrativa, ou como título de algumas das obras, desvelando uma visão poética, mas também crítica, à qual não escapa a História da Arte e as estórias, quase íntimas, na relação entre artistas ou entre estes e o contexto em que estas obras foram criadas.
João Silvério | Curador

No Museu do Oriente até 18 de Junho.